Noticias - Progbrasil

Ultimas Notícias


Podcast da Progcast entrevista Banda do Sol (05/Jul/11)

Eliton Tomasi anuncia :

<<
Olá pessoal

Vcs já conhecem o Progcast? É o primeiro (e creio que único) podcast exclusivamente voltado para o rock progressivo.

É produzido e apresentado pelos roqueiros Rhamsés e Rodrigo.

Na edição dessa semana tá rolando um super especial com a BANDA DO SOL.

Tem um bate papo muito massa com o baterista Fábio Fernandes, além de músicas do Cd "Tempo" e muitas outras novidades do mundo Prog.

Confiram: www.progcast.com.br

Prog Regards


Eliton Tomasi
Som do Darma - Produção e Comunicação em Cultura
[email protected]
Tel/Fax +55 15 3211-1621
www.somdodarma.com.br
www.facebook.com/profile.php?id=1548503867 (FACEBOOK)
www.myspace.com/somdodarma (MYSPACE)
http://twitter.com/elitontomasi (TWITTER)
[email protected] (MSN)
eliton.tomasi (SKYPE)

Management:
HELLISH WAR - www.hellishwar.com.brUGANGA - www.uganga.com.br
ANDRAGONIA - www.andragonia.com
Press & Promotion:
BANDA DO SOL - www.myspace.com/bandadosol
IMAGERY - www.myspace.com/imageryprog
KAPPA CRUCIS - www.kappacrucisband.com
HELLION RECORS - www.hellion.com.br
>>


Fonte :Lista Progbrasil no Yahoogroups



Nova edição do Podcast do País Relativo (05/Jul/11)

Felipe Santos é quem anuncia :

<<
Venho deixar-vos o link para descarregarem o último País Relativo!, dedicado a novidades e recordações RIO.


http://www.facebook.com/permalink.php?story_fbid=183359625055242&id=399492807064¬if_t=like


Se o link ficar inactivo, procurem em:


http://www.facebook.com/pages/Pa%C3%ADs-Relativo/399492807064


e acompanhem o programa em diferido por aqui.


Playlist:


The Nerve Institute - "Horror Vacui" - Architects of Flesh Density (2011)
The Nerve Institute - "Prussian Blue Persuasion" - Architects of Flesh Density (2011)
Ske - "Fraguglie" - 1000 Autunni (2011)
Zamla Mammas Mana - "Buttonless" - Schlargens Mystik (1978)
Ske - "Denti" - 1000 Autunni (2011)
Yügen - "Becchime + Ice" - Iridule (2010)
French TV - "Conversational Paradigms" - I Forgive You for All My Unhappyness (2010)
Abrete Gandul - "...Y Ahora Qué?" - Enjambre Sísmico (2011)
October Equus - "El Furioso Despertar del Homúnculo Neonato" - Saturnal (2011)
October Equus - "Una Mirada Furtiva en la Noche Saturnal" - Saturnal (2011)
Present - "Sworlf" - nº6 (1999)
Rational Diet - "Human Life in the Wind + Somebody in the Spacious Tale-Coat + Unexpected Feiertag in Chemnitz" - On Phenomena and Existences (2010)
Pikapika Teart - "Project X + For Glass" - Moonberry (2010)
Zauss - "Hymn" - Überall In Terra Straniera Borders Beyond (2011)
Überfall - "Überraschungsfrisur" - Treasures (2010)
>>


Fonte :Lista Progbrasil no Yahoogroups



Banda Quaterna Requiem se apresentará na Sala Baden Powell em 21/07 (05/Jul/11)

Claudio Paula anuncia :

"Muita gente pediu um local mais central para ver uma das maiores bandas de progressivo do país se apresentar. É chance de rever ou ver a banda.

E, a chance é única!!

O Quaterna Réquiem tocará na Sala Baden-Powell, no dia 21 de julho, às 20 horas.

Para quem não sabe, a Sala Baden Powell fica em Copacabana, na Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 360.

Ingressos a R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (estudante).

Um abraço, nos vemos lá!
Cláudio Paula"
> (Vértice Cultural)


Fonte :Lista Progbrasil no Yahoogroups



Promoção da gravadora Moonjune : qualquer cd do catálogo por $12, já incluindo postagem (05/Jul/11)

A gravadora Moonjune anunciou recentemente que a promoção de todo o seu catálogo atual (fora os itens marcados como "New" no site). Todos os cds se encontram à venda pelo preço de 10 dólares para compradores dos EUA e do Canadá, e 12 dólares para o resto do mundo. Isto incluindo a postagem.

O catálogo está disponível em http://moonjune.com/catalog/



Fonte :Newsletter da Moonjune



O ROCK DOS ANOS 70 INVADE A Rua da CARIOCA - 17/06/2011 (17/Jun/11)

O lojista e produtor Claudio Fonzi envia o convite abaixo :

<<
Hoje, 17/06 a partir das 18 horas, acontecerá a imperdível inauguração de um espaço REALMENTE destinado a boa música e com um atendimento espetacular, bem no coração de nossa cidade.

Por isso, fiquei encarregado de produzir e programar todo o evento, que conta com muito rock setentista e progressivo do bom, que você poderá curtir dos 2 ambientes desse novo espaço, que não tenho dúvidas, ingressará no calendário alternativo da Cidade Maravilhosa.

E pensando em sua presença nesta primeira grande edição, estou disponibilizando um número limitado de ingressos promocionais a R$15,00. Isso mesmo, pelo valor de um simples lanche Big Mac, você fará parte deste evento, com portas abertas às 18 horas e com um show super especial da Banda MONOKARMA, executando o melhor do Hard Rock dos anos 70, com clássicos repertórios das bandas Grand Funk, Free, Led Zeppelin e Deep Purple, além de excelente trabalho autoral.

Então estamos combinados, vejo você lá para "bebemorarmos" ao som de muito rock 'n' roll.

Claudio Fonzi

===============================
SERVIÇOS:
===============================

Local: CARIOCA 54
Endereço: Rua da Carioca, 54-A - Centro
Clique aqui para ver o mapa
Data: Sexta-feira, 17 de junho de 2011.
Horário: 18:00h
Show ao vivo: Banda MONOKARMA às 21:00h
Vídeo da banda: monokarmaonline
Fechamento da casa: 24:00h
Exposição: Stand de CDs e DVDs raros para venda e a preços especiais
Ingressos: no local R$20,00
Local de venda direta: Renaissance Discos - Rua Alcindo Guanabara, 17 sala 1508 - Cinelândia
Maiores informações: 21 2524-0216 / 24 9218-2407

Ingressos Antecipados: R$15,00 - mediante depósito bancário nos dados abaixo
ITAÚ
Ag. 0122, C/c 54914-0
Claudio Luiz Ribeiro de Oliveira

BANCO DO BRASIL
Ag. 2885-1 , C/c: 20.831-0
Claudio Luiz Ribeiro de Oliveira

*Importante: Deposite o valor de R$15,00 em uma das duas contas informadas, envie um e-mail com os dados de comprovação e aguarde um e-mail de retorno, contendo um número secreto e individual, que você deverá apresentar na entrada do evento, junto ao comprovante do banco ou impresso, caso tenha realizado a operação via Internet Banking.

Tenha um ótimo Show!


*Renaissance Discos

*Som Interior Prod. Artísticas

*Nova Geração Sonora

*Estação Rádio Espacial
>>


Fonte :Lista Progbrasil no Yahoogroups



Ronnie Von fala de sua fase psicodélica em programa de canal fechado de TV (31/May/11)

Na próxima sexta, 21:30h, Canal Brasil, o Som do Vinil será com o Ronnie Von e sua fase psicodélica.


Fonte :Lista Progbrasil no Yahoogroups



Falecimento de Orlando Rodrigues Almeida - Halley Discos (08/Apr/11)

É com imensa tristeza que comunicamos o falecimento do amigo Orlando Rodrigues Almeida da Halley Discos. Orlando prestou serviço inestimável divulgando a arte ao longo dos 25 anos de existência de sua loja no bairro do Flamengo no Rio, quem teve o prazer de conviver com seu entusiasmo e sua alegria sabe muito bem da retidão de seu caráter e seu humanismo. Deixa imensa lacuna à cena musical Brasileira. Nosso pesar à família e amigos.


Fonte :



Cd da Banda do Sol na Livraria Cultura (15/Feb/11)

Quem ainda não tem o Cd "Tempo" da Banda do Sol, agora tem a opção de comprá-lo pela Livraria Cultura.

http://www.livrariacultura.com.br/scripts/musica/resenha/resenha.asp?nitem=17000996&sid=946106199132475390538432&k5=C9A76EB&uid=

Quem curte Prog Metal, tbém está disponível pela Livraria Cultura o novo do Andragonia, "Secrets In The Mirror"

http://www.livrariacultura.com.br/scripts/musica/resenha/resenha.asp?nitem=17000995&sid=946106199132475390538432&k5=20196C5C&uid=

Abraços



Eliton Tomasi
Som do Darma - Produção e Comunicação em Cultura
[email protected]
Tel/Fax +55 15 3211-1621
www.somdodarma.com.br
www.facebook.com/profile.php?id=1548503867 (FACEBOOK)
www.myspace.com/somdodarma (MYSPACE)
http://twitter.com/elitontomasi (TWITTER)
[email protected] (MSN)
eliton.tomasi (SKYPE)

Management:
HELLISH WAR - www.myspace.com/warhellishwar
UGANGA - www.myspace.com/uganga
ANDRAGONIA - www.myspace.com/andragonia
Press & Promotion:
BANDA DO SOL - www.myspace.com/bandadosol
DEVENTTER - www.myspace.com/deventter
IMAGERY - www.myspace.com/imageryprog
MOONJUNE RECORDS - www.moonjune.com

Contrate as Melhores Bandas Cover do Brasil:
DR LOVE "KISS TRIBUTE"
IRON FIST "MOTÖRHEAD COVER OFICIAL"
KINGDOM COME "MANOWAR TRIBUTE"
THE B'EAST SIDES "IRON MAIDEN COVER"
HEAVEN & HELL TRIBUTE
IN TRANCE "SCORPIONS COVER"
VIOLETA DE OUTONO TOCA "PINK FLOYD"
BANDA DO SOL TOCA "YES"


Fonte :Lista Progbrasil no Yahoogroups



No Olho da Rua (03/Feb/11)

Amanhã, dia 04 de fevereiro, às 19 horas, no Centro Cultural de Referência da Música Carioca teremos o quarteto de jazz NO OLHO DA RUA, abrindo a temporada 2011.

O Centro Cultural de Referência da Música Carioca fica na Rua Conde de Bonfim, 824 - Tijuca. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone: 3238-3831.


Fonte :Lista da ProgBrasil no Yahoogroups



Recado do artista Gustavo Jobim (03/Feb/11)

alô

Eu estou refazendo meu site.

A versão em ingles está pronta, agora estou passando tudo para
português.
Uma das novidades é o making of de cada um dos meus 4 álbuns solo e 2
colaborações.
Estes trabalhos são parte de um processo de revisão que estou fazendo
de tudo que fiz até agora.
Todos os álbuns serão relançados neste ano, em edições de áudio de
alta qualidade, e alguns álbuns virão em versões estendidas. Round Mi
, meu primeiro disco, é um dos que serão ampliados.

O site será relançado nesta semana ou na próxima, com apenas as
seções básicas, em breve outras serão adicionadas.
Por enquanto a homepage do site está pronta, com o single gratis Cat in
the Blender, que antecipa o próximo álbum de inéditas, Trapped in a
Day Job, com lançamento programado para fevereiro. Trapped será o
quinto álbum, ou décimo, se contar os álbuns experimentais inéditos
pré-Round Mi. Mas eu não conto.

Cat in the Blender pode ser baixado agora mesmo em www.gustavojobim.com
.

A versão em português do primeiro "making of" acaba de ficar pronta.
pode ser que ainda receba alguns retoques, mas está aí:

A criação de Round Mi

Parte 1: No começo...

Em janeiro de 2000 comecei um curso livre de música com o maestro Paulo
Cesar Neves. Ele me ensinou os fundamentos da teoria musical e técnica
de teclado. Pra mim o mais importante era a teoria porque eu não tinha
um instrumento musical, mas já tinha ambições de criar músicas
elaboradas e grandiosas. Usando os novos conhecimentos, imediatamente
tentei concretizar minhas ideias no computador. Eu utilizada um programa
chamado Fast Tracker II, que basicamente é um sequenciador de várias
faixas baseado em amostras sonoras. Este programa criava os chamados
módulos, que eram arquivos contendo as amostras sonoras e as
instruções musicais, como "toque o instrumento X, nota Sol-3, volume
80, efeito sonoro Y". O formato de módulo foi amplamente utilizado como
trilha sonora de jogos de computador antes da era do MP3, e trilhas
sonoras de videogames tiveram papel importante na minha formação
musical no final dos anos 1980, início dos anos 1990, além de
estimular minha orientação para a música eletrônica.

Ao final deste primeiro ano, eu já tinha compilado os primeiros
experimentos num formato de álbum, Avojo, e estava no meio da minha
primeira composição conceitual em larga escala, Sequensea, em 10
partes, usando ainda o Fast Tracker II.

Daí ganhei meu primeiro sintetizador, um Roland XP-30, dado pela
família, e passei pelo mesmo processo: gravei vários experimentos, que
foram compilados como o álbum Outubro a Dezembro, e tentei uma nova
composição, gravada em dezembro, chamada Aventura. O principal método
que eu usava, e ainda uso hoje, era o de "composição instantânea", ou
improviso estruturado: um processo de improvisação cuidadosamente
calculado, com algumas regras desde o início, ou então regras criadas
conforme a música é tocada. Ao final da sessão, se o resultado for
bom, soa como uma composição normal. Em março de 2001 finalizei
Sequensea e passei a me dedicar inteiramente ao XP-30. Logo depois
gravei as primeiras composições com arranjo mais elaborado.

Em setembro de 2001, cheguei a um novo patamar com uma peça de 20
minutos que chamei de Loopsurf-Loopsearch. Então com Loopsurf começou
a criação do que eventualmente se tornou meu primeiro lançamento.

Parte 2: A suíte

Depois de Loopsurf resgatei alguns rascunhos melódicos do início de
2001 e fiz um arranjo de uma pequena peça baseada em sequencer, que se
tornou Floating Tones Around Mi. O título tem três significados: é
uma descrição da linha melódica, que se mantém ao redor da nota mi
(around é ao redor em inglês); é uma referência ao fato de que
naquela época eu ainda estava fortemente influenciado pelos músicos
eletrônicos recém-descobertos ("mi" tem a mesma pronúncia de "me", e
"tons around me" = "tons ao redor de mim"); além disso é uma
referência a Tone Float, o único álbum, de 1970, de um grupo alemão
chamado Organisation, que se tornou o Kraftwerk.

Sob a influência de Jean-Michel Jarre e muitas sinfonias clássicas,
que é meu gênero preferido de música clássica, decidi que Floating
Tones seria a primeira parte de uma suíte. Cada parte foi uma
realização importante no meu desenvolvimento musical. Lamento foi a
primeira que incluiu uma amostra de som gravado por mim (um found
sound): a gravação do ambiente de uma tarde chuvosa, feita a partir da
janela do meu quarto, onde toda a música deste álbum foi criada. Este
ambiente tem muitos sons interessantes como a passagem de carros e o
ruído da abertura da janela do quarto dos meus pais. Tudo isto pode ser
ouvido na peça. A linha melódica é derivada de Floating Tones,
reforçando a característica de suíte do conjunto de peças em
formação.

As duas outras peças da suíte Round Mi continuaram seguindo a nota Mi.
Para estas, tentei escrever uma partitura orquestral, já que o
sintetizador XP-30 oferecia muit sons orquestras, e também devido às
minhas pretensões sinfônicas. Usei o programa de notação musical
Finale e escrevi as duas peças inteiramente com ele, antes de gravar o
áudio do sintetizador. A inspiração agora veio de Philip Glass, para
um movimento lento e outro rápido e climático para encerrar a suíte.
O movimento lento foi chamado Procissão. Hoje eu considero o som meio
seco, mas foi um bom exercício na época, não só o processo de
escrever a peça mas também a gravação e mixagem, tudo feito por mim,
no meu quarto. Mas naquele momento eu estava satisfeito com a
Procissão, e segui em frente para a peça final.

Novamente usei um velho rascunho, uma peça de Aventura. Eventualmente,
a peça pegou emprestado o título da primeira faixa de Aventura: Saindo
da Atmosfera. Ela era baseada numa progressão simples, que
coincidentemente fazia amplo uso da nota mi. Havia um motivo de 16 notas
que se repetia: mi mi mi mi mi mi mi mi fá fá fá fá fá fá ré
ré. Improvisando com este motivo, encontrei um acorde interessante, uma
inversão de Dó# menor (Mi+Sol#+Dó#). A combinação destes dois
elementos formou a base para a peça inteira, uma exploração
minimalista de arpejos de Dó# menor e outros acordes ao redor dele. A
nota mi pulsa sem descanso durante toda a peça, levando o conceito de
"tons ao redor de mi" às últimas consequências. Conforme eu progredia
na escrita, ficava animado de ouvir os resultados, mas pensava em como
ia fazer para seguir com o plano: gravar tudo aquilo com o sintetizador.
Parecia um passo maior que as pernas.

Parte 3: Clouds e as últimas gravações

Nesse meio tempo, eu tive um problema. Eu tinha uma peça interessante,
Loopsurf, já em seu lugar como encerramento do álbum. Eu tinha uma
suíte sinfônica quase terminada, que seria o início do álbum. No
total eram apenas 40 minutos de música e eu não tinha o recheio deste
sanduíche. Considerei alguns dos experimentos improvisos mais antigos
que tinha gravado. Não eram bons o suficiente, especialmente comparados
com o que eu já tinha para o álbum. Tentei gravar algumas coisas
novas, rascunhei alguns conceitos novos, mas nada funcionou.

Uma noite, em janeiro de 2002, no meio do trabalho de escrever Saindo da
Atmosfera, sentei ao sintetizador para praticar. Selecionei alguns sons,
liguei o delay quádruplo para um som clássico de sequencer, liguei o
arpejador e comecei a personalizar o som percussivo que o arpejador
estava tocando, mudando um dos quatro sons básicos em que se compunha
este som percussivo. De repente o som adquiriu uma característica mais
interessante e percussiva. Observei o display do sintetizador e vi que
tinha selecionado um banjo como um dos quatro sons básicos. Foi uma
descoberta feliz. Com este novo som de arpejo personalizado, um som de
oboé também modificado e algus sons de fundo suaves, iniciei uma nova
composição instantânea. Esta foi tocada com um cuidado especial. Eu
queria mantê-la o mais harmônica possível, então sempre que eu
tocava os sons de oboé, eu mantinha as melodias dentro dos acordes de
fundo, e dentro do arpejo. Eu também queria que a peça tivesse um
início, desenvolvimento e fim. Além de tudo eu estava imitando o
estilo do Klaus Schulze, só pela diversão. Toquei sem parar por 34
minutos. Quando interrompi a gravação eu já estava impressionado pela
música que tinha acabado de tocar. Ouvi muitas vezes, logo depois da
gravação e nos dias seguintes. Era isso. Apesar de começar como uma
imitação de Klaus Schulze, concluí que a peça tinha a minha
personalidade, e que a estrutura dela era suficientemente diferente
daquelas normalmente empregadas pelo Schulze. E era também bonita. Ela
pedia pra ser publicada. Depois de cuidadosamente tirar 3 minutos dela
só para encurtar, reduzindo para exatos 31 minutos, eu chamei esta
peça de Clouds, como uma ilustração da som e também uma corruptela
de "Klaus", como no jogo de palavras do título de Floating Tones.

Agora eu tinha um álbum quase completo. Ainda tinha que terminar de
escrever Saindo da Atmosfera, e tinha uma montanha para escalar: gravar
esta peça. A escrita encerrou em março de 2002. Agora eu tinha dezenas
de páginas de uma ótima e grandiosa partitura orquestral, e eu tinha
que tocar e gravar tudo aquilo. Todos os aspectos foram difíceis pra
mim, tocar os amplos arpejos, gravar e mixar. Havia uma ampla variedade
de instrumentos: piano, glockenspiel, flauta, piccolo, órgão de
igreja, tímpanos, sinos tubulares etc. Todos eles precisavam soar
apropriadamente, e a mixagem precisava estar bem balanceada senão este
redemoinho de arpejos ia parecer uma bagunça.

Tudo que havia sido feito entre o início de 2000 e meados de 2001 era
geralmente rascunhos, peças simples demais, amadoras ou montadas no
computador usando amostras sonoras de qualidade baixa. Eu estava
aprendendo e experimentando. Agora pela primeira vez eu tinha um álbum
de música eletrônica quase completo, que era razoavelmente bom. Dessa
vez, eu tinha que publicá-lo.

Parte 4: O contrato

Comecei procurando por um selo dentre aqueles relacionados com a cena
local de rock progessivo. Encontrei um que havia lançado alguns álbuns
eletrônicos no passado: Som Interior. Claudio Fonzi, o dono do selo, se
interessou pela minha história e mandei uma demo: na verdade, o álbum
inteiro exceto Saindo da Atmosfera, que estava sendo gravada. Fiquei
surpreso pela resposta positiva; é claro que eu acreditava ter um
trabalho de qualidade nas mãos, mas uma pessoa experiente dizendo isso
era outra coisa.

Eu ainda tinha que finalizar o álbum e o final de suíte. Levei alguns
meses pra terminar. No final, apesar de alguns detalhes aqui e ali, pra
mim a música soava até melhor que com os arranjos perfeitamente
tocados pelo computador. Em julho de 2002, com este finale, o álbum
estava pronto.

Assinei um contrato com a Som Interior para 1000 cópias do CD. Achei
muito, mas na época nenhuma fábrica fazia menos que isso, o mercado de
música digital não existia, e os CD-Rs não eram considerados. Logo
antes de mandar o CD-R original para a prensagem, decido que
Loopsurf-Loopsearch não estava boa o suficiente. Passei os dias
seguintes gravando várias versões "finais" dela - e vários CD-Rs
master diferentes. Então esta peça marcou o início e o final das
gravações do meu primeiro álbum. Para o título, tentei muitas
possibilidades até que decidi simplesmente abreviar o título da
primeira peça. Floating Tones Around Mi assim virou Round Mi, um bom
título, já que os rascunhos de Floating Tones foram os primeiros
passos do álbum.

Como também sou interessado em artes e designs visuais, criei todos os
visuais de capa e encarte. A capa não parece tão especial hoje em dia,
e parece melhor impressa que na tela do computador, mas na verdade é
uma foto que tirei de uma parte da visão que eu tinha da janela do meu
quarto, onde tudo aconteceu. Esta foto foi tratada e se transformou na
capa. Todos os outros gráficos coloridos são derivados desta imagem.
Para a parte interna do encarte, os gráficos são preto e branco,
também inteiramente criados a partir de uma outra foto que mostra eu
sentado a uma mesa. A própria foto está incluída na montagem
psicodélica.

+ + +

Logo depois de declarar a música de Round Mi finalizada, comecei o
segundo álbum imediatamente. Em agosto de 2002 gravei um CD-R inteiro
com novas peças, no mesmo método de composição instantânea,
simplesmente porque nunca tive muito tempo livre para elaborar mais
profundamente as músicas. Uma dessas peças novas era muito
interessante mas eu não estava muito satisfeito com a sonoridade geral.
Gastei literalmente anos tocando praticamente só essa peça, mudando os
sons e a mixagem, até que ela se solidificou como uma nova, compacta
composição, muito diferente da sua forma original e bem diferente de
tudo mais que eu tinha criado até agora... Mas isto já é uma outra
história.

- Gustavo Jobim, Janeiro 2011


Fonte :Lista da ProgBrasil no Yahoogroups


Progbrasil